Literatura, Livros, Resenhas

[Resenha] A Culpa é das Estrelas – John Green

Sinopse:

A Culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

 

A Culpa é das Estrelas foi o primeiro livro que li do Desafio Intrínseca (leia sobre isso clicando aqui). Ele já estava na minha estante há alguns meses e eu o peguei sem pretensão alguma, para ler no restinho das minhas férias de março. Eu sabia mais ou menos o que esperar da história, mas, ainda assim, fui surpreendida positivamente. Foram lágrimas derramadas e muitos, muitos risos dados no decorrer das suas 283 páginas.
Hazel Grace é uma paciente terminal. Foi diagnosticada com câncer quando ainda era muito jovem, mas um determinado remédio conseguiu fazer o seu tumor encolher o suficiente para lhe dar mais alguns anos de vida. A morte é uma questão que predomina em seus pensamentos com frequência e não é à toa que Hazel está deprimida.

Só tem uma coisa pior nesse mundo que bater as botas aos dezesseis anos por causa de um câncer: ter um filho que bate as botas por causa de um câncer.

Por insistência da sua mãe, a menina aceita ir ao Grupo de Apoio a Crianças com Câncer para poder sair de casa e tentar interagir com outras pessoas que compartilham problemas parecidos. O que Hazel não esperava era que Augustus Waters também fosse ao encontro no mesmo dia. E, menos ainda, que ele flertasse com ela.

(Arte por 4leafcolour)

É difícil falar de forma imparcial sobre um livro que te prendeu e mexeu com suas emoções. A Culpa é das Estrelas me arrebatou como há muito nenhuma história fazia comigo. Fosse pela ironia incrível com as quais os personagens tratavam suas doenças – acredito que essa tenha sido uma forma de mostrar que Hazel, Gus e Isaac tentam superar suas limitações, tornando a vida um pouco menos mórbida – fosse pela sensibilidade que John Green empregou na construção da obra como um todo, fiquei extremamente envolvida com o que estava lendo. A sagacidade dos personagens surpreende, o sarcasmo usado por eles em vários momentos dá ao tema – que não é nem um pouco fácil de ser digerido – um teor mais leve, chegando a gerar a comicidade em certos instantes. E, obviamente, o romance gera grandes expectativas. É impossível não torcer por Gus e por Hazel e, ainda mais, não soltar vários “ouns!” durante as partes mais fofas deles :).

(Arte por Siminib)

Obviamente, chorei até desidratar algumas – muitas – vezes. Apesar do livro tratar sobre o relacionamento de dois jovens com câncer de uma forma suave, em vários momentos vamos nos deparar com situações difíceis, de profunda reflexão. Vamos sentir a dor deles, vamos conviver com seus medos, vamos nos perguntar “por que, Deus, isso precisa acontecer?”. E essas questões não se restringem ao plano literário. É duro pensar que as 283 páginas de A Culpa é das Estrelas refletem, ainda que de maneira ficcional, a realidade de muitas crianças, jovens e pais que convivem com o câncer, que temem ser levados/perder seus parentes e amigos para a doença. E esse é, para mim, um dos grandes méritos que John Green conseguiu com sua obra.

(Arte por Incredibru)

A Culpa é das Estrelas é um livro extremamente recomendável, tanto na questão do entretenimento quanto no ponto da reflexão. É lindo, profundo e divertido. Okay? :)

Até a próxima, pessoal!

PS1 – E, mais uma vez, eu desapareci misteriosamente o blog/redes sociais. Estou estudando para umas provas, então isso consome bastante o meu tempo. É  complicado conciliar tudo nesses tempos de correria 😡
PS2 – Gostaram do formato da resenha (Resenha + fanarts)? Se sim, posso fazer as próximas seguindo este padrão. Deixem um comentário falando sobre suas preferências :)

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

  • Reply Bia w. maio 29, 2013 at 7:26 pm

    Que resenha linda Kami!
    Já li o livro a um bom tempo, e enquanto lia comecei a chorar de novo lembrando a história <3

    • Reply Kamile Girão maio 30, 2013 at 8:26 am

      Obrigada, Bia! Esse livro é muito lindo, não é? Estou doida para relê-lo, mas minha lista ainda está super atrasada.
      Abraços e obrigada pela visita! :*

  • Reply Yasmim Leães junho 9, 2013 at 1:49 am

    Depois de um tempão namorando esse livro, finalmente consegui adquiri-lo! Não vejo a hora de começar a ler. Só ouço/leio maravilhas a respeito, e confesso que depois de ler a sua resenha fiquei com vontade de deixar minha leitura atual para depois e começar ele logo!

    • Reply Kamile Girão junho 10, 2013 at 12:51 am

      Yasmim, espero que você goste tanto quanto eu. O livro é lindo e eu chorei feito uma condenada, hahaha. Valeu muito a pena, foram dois dias de uma leitura intensa e agradável :’) Me conta depois o que você achou, heim?
      Abraços!

    Leave a Reply