Filmes, Livros

[Especial] Alguns filmes da Disney que vieram de livros

Sempre que pensamos em Disney, lembramos instintivamente dos filmes clássicos que foram inspirados em contos de fadas: Cinderela, Bela Adormecida, Branca de Neve… Porém, a empresa tem uma vasta gama de películas e nem todas foram tiradas das histórias dos Grimm ou do Perrault ou foram escritas exclusivamente para o cinema. Muitos dos filmes da Disney vêm de livros (tanto animações quando live-actions, assim digamos). Pensando nisso, listei alguns dos desenhos animados típicos da nossa infância e que saíram de obras literárias para adaptações cinematográficas:

1 – Dumbo (1941)

A história do simpático elefantinho que voa com as orelhas apareceu primeiramente em 1939, escrito pela americana Helen Aberson Mayer e ilustrado por Harold Pearl. É, contudo, difícil obter maiores dados sobre a escritora e sobre a primeira publicação de Dumbo, visto que, aparentemente, nenhum manuscrito sobreviveu. O que podemos saber acerca do trabalho de Helen é que ela sempre gostou de criar personagens animais e os baseava em situações ou pessoas que ela havia conhecido. Em 1960, a escritora continuou a escrever historinhas infantis, mas nenhuma delas veio à tona.
Ao que tudo indica, Dumbo tem um leve teor autobiográfico, representando um pouco a vida de sua autora.

2 – Bambi (1942)

A primeira vez em que se pôde chorar com a morte da mãe do Bambi foi em 1923. Publicado na Áustria com o título de Bambi: Eine Lebensgeschichte aus dem Walde (algo como “Bambi, uma vida na floresta”), foi escrito por Felix Salten e traduzido para várias línguas. É uma obra considerada como um clássico da literatura infantil e como um dos primeiros romances ambientais a ser lançado. Salten, inclusive, fez uma continuação, chamada Bambis Kinder, eine Familie im Walde. É interessante saber, porém, que o livro foi feito com o intuito de ser lançado para o público adulto e que também foi alvo da Alemanha Nazista.

3 – A Espada era a Lei (1963)

Histórias sobre o Rei Artur existem aos montes. Por se tratar de uma lenda medieval, é difícil encontrar um registro que nos informe de onde surgiu todo o contexto que envolve o Rei Artur. Em contrapartida, muitos consideram que as obras do inglês T. H. White são as versões definitivas da lenda, todas compiladas na série O Único e Eterno Rei. O primeiro livro, A Espada na Pedra, publicado em 1938, serviu de inspiração para o filme A Espada era a Lei. Tal como na película, o enredo central é na forma que Artur chega ao posto de rei e sua aproximação com o mago Merlim.

4 – Mogli, o Menino Lobo (1967)

A história de Mogli encontra-se n’O Livro da Selva, uma coletânea de contos escrito pelo inglês  Rudyard Kipling e publicado em 1894. A maioria dos contos possui Mogli, o menino indiano que cresce na selva, como protagonista. Um fato curioso é que Kipling nasceu na Índia e que suas histórias são marcos na literatura infantil. Kipling, inclusive, conseguiu uma Prêmio Nobel em 1907. O Livro da Selva é utilizado como referência, também, às leis de sobrevivência dos escoteiros.

5 – As Aventuras do Ursinho Pooh (1977)

O Ursinho Pooh apareceu pela primeira vez em 1926, no livro Winnie-the-Pooh. Escrito pelo britânico A. A. Mine, o carismático ursinho ainda ganhou mais algumas publicações narrando as suas peripécias (e ganhou, inclusive, uma tradução em latim, que figurou como uma das mais vendidas no New York Times!). A inspiração dos brinquedos do menino Christopher Robin vieram do próprio filho do autor, que também se chamava Christopher Robin.

6 –  O Cão e a Raposa (1981)

O longa foi baseado no livro de mesmo nome, escrito pelo americano Daniel P. Mannix e lançado em 1967. Como de praxe da Disney, muitas das cenas do livro foram suavizadas no filme e transformadas. No original, cão e raposa não falam e não são amigos, e o final é bem mais obscuro. Ao que parece, a película não faz muito jus à obra de Mannix.

7 – O Rei Leão(1994)

Preciso confessar que a curiosidade sobre o Rei Leão me pegou de surpresa. O filme não surgiu de um livro específico, mas teve seu roteiro inspirado em nada mais e nada menos do que Hamlet, de Shakespeare, e em passagens bíblicas (nas histórias de Moisés e José)!

8 – O Corcunda de Notre Dame (1996)

O sofrido Quasímodo nasceu da cabeça do mestre Victor Hugo ainda no século XIX. Publicado em 1831, Notre Dame de Paris surgiu para o público adulto e tinha como intuito a preservação da catedral. É comum ver no livro passagens em que Hugo descreve a arquitetura majestosa de Notre Dame. A história também foi outra que precisou passar por severas mudanças para ser consumida pelo público infantil, visto que a obra debate temas complexos (como o amor proibido do juiz Frollo) e descreve com detalhes todas as crueldades pelas quais Quasímodo passa. Ainda assim, considero O Corcunda de Notre Dame um filme bastante intenso para crianças (e um dos meus favoritos!).

9 – Tarzan (1999)

Tarzan foi criado pelo escritor Edgar Rice Burroughs e sua primeira aparição foi na revista All-Story Magazine, em 1912. Dois anos depois, o jovem crescido nas selvas ganhou seu primeiro livro, esse seguido por mais vinte e quatro (!) publicações. Tarzan também teve aventuras relatadas por outros escritores e suas histórias ganharam várias adaptações – entre elas, a da Disney, em 1999.

10 – O Planeta do Tesouro(2002)

Transformado em um filme de ficção-científica, a história de Jim Hawkins foi relatada pelo escritor Robert Louis Stevenson na obra A Ilha do Tesouro, de 1883. Inclusive, foi este livro que implantou a imagem tradicional dos piratas com pernas de pau, dos mapas dos tesouros, e das riquezas guardadas em baús com uma grande letra X grafada. O filme, porém, inova o estereótipo, fazendo navios voadores e desbravadores de planetas. (Uma curiosidade acerca da película é que o nome do navio em que Jim Hawkins viaja é o nome do escritor!)

E vocês? Sabiam dessa?

Até a próxima!

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply