Literatura, Livros

[Literatura] E-books: minha experiência.

Acredito que, como qualquer leitor acostumado aos livros físicos, fui duramente contra os e-books tão logo soube da existência deles. Como assim? A era digital quer extinguir também os livros, invenção mais antiga que meus tatatatataravós? – sim, esse foi meu primeiro pensamento. Eu me recusava a aderir a essa nova febre com firmeza (se eu já não conseguia ler no computador, quem dirá em um dispositivo próprio para esse fim?).
Meu pensamento começou a mudar quando, na faculdade, comecei a sentir falta de um aparelho para colocar todos os livros que eu precisava ler. Vejam bem, eu realmente não consigo ler no computador (porque minha distração sempre fala mais alto) e havia vários livros que eram leitura obrigatória no currículo e não existiam na biblioteca. Torci o nariz e comprei um tablet (o kindle ou o kobo estavam fora de cogitação na época). E foi com Coração, Cabeça e Estômago, do Camilo Castelo Branco, que percebi que livros digitais não eram assim tão ruins.

Com a chegada da plataforma brasileira da Amazon, virei uma ratinha de e-books. Em poucos meses, adquiri vários exemplares de livros e contos nacionais, além de baixar alguns volumes disponíveis para download gratuito. E não, isso não implica que deixei de comprar livros físicos. Apenas aprendi a gostar dos dois de uma forma equivalente.

(Alguns dos meus e-books e, entre eles, meu Yume ♥)

Há muitas vantagens nos e-books. Além do preço ser consideravelmente mais baixo, a praticidade de ter vários livros sem ocupar muito espaço é gigantesca (sim, sou dessas que já está empilhando os volumes em um cantinho no quarto). Não acho cansativo ler pelo tablet e tampouco tenho o problema de ficar me distraindo muito. Além do mais, o kindle tem ferramentas muito bacanas para se marcar passagens sem ter aquele medo de estragar o livro. Para mim, isso se torna mais vantajoso quando estou lendo em inglês e há aquela determinada palavra que não consigo entender.

(Poção do Amor, da autora Vanessa Bosso. O primeiro e-book que li ♥)

Preciso dizer que um dos pontos mais altos que vejo nessa onda de e-books é a quantidade de autores nacionais que estão publicando seu trabalho na Amazon. Isso não apenas os ajuda a divulgar melhor seus livros, como também os fazem ter custo zero na hora da publicação e retorno financeiro (coisa que nem sempre acontece com editoras por demanda). E os preços não ultrapassam dez dilmas, o que facilita muito mais a aquisição dos leitores. Ficou ainda mais fácil prestigiar e ajudar os novos escritores brasileiros. Não falo isso apenas como a autora que aderiu a esse recurso, mas como consumidora assídua do trabalho tupiniquim.

(Namorado e Yume ♥)

Enfim, concluo dizendo que vale a pena sim comprar e-books e que lê-los não implica que você não consumirá mais os livros físicos. Os livros digitais são apenas mais uma forma de prestigiar a literatura: que sempre será a grande beneficiada nessa história.
Até breve!

Indicações:
– Post sobre e-books no Nanie’s World: http://tinyurl.com/p9wmlle

– Vídeo amor da Intrínseca: http://tinyurl.com/pmu6fom

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

  • Reply Ren junho 28, 2013 at 5:16 pm

    Eu leio mais e-books que livros físicos.

    Ler no tablet, Kobo, Kindle, etc é super válido por motivos de peso e conveniência. E também o detalhe de livros em outros idiomas que você paga 5,99 o e-book e R$50,00 pra trazer pra cá.

    Outra coisa interessantíssima do e-book é que você não precisa comprar estante/prateleira para colocá-los e assim ter que gastar uma puta grana com marceneiro. Basta criar uma pasta no seu dispositivo ou comprar um cartão de memória.

  • Reply Vanessa junho 28, 2013 at 8:04 pm

    Kami, eu tenho um Kindle Paper White e menina, parece que estou lendo um livro de papel!!! E tem a imensa vantagem do aparelho sumir na mão, a experiência de leitura é incrível.

    Minha estante virtual já passa dos 60 e-books (incluindo Yume!!!!) e estou antevendo que muito em breve passará a minha estante física (543 livros). Sinceramente? Gosto mais de ler em e-book, tanto é verdade que minha pilha de livros físicos para ler não diminui de jeito nenhum… e em contrapartida, meus livros digitais crescem a olhos vistos!!!

    Feliz por ter lido Poção do Amor, viu!

    Bjo, lindona!

  • Reply Shana Conzatti junho 29, 2013 at 4:37 pm

    Olá, Kamile.
    Adorei a postagem. Realmente depois que descobri os e-books leio mais do que livros impressos.
    Beijos

  • Reply Jaqueline Ribeiro junho 29, 2013 at 6:00 pm

    Eu comprei o modelo mais simples do Kindle também por conta do material de estudo da faculdade e aproveitei todos aqueles e-books que já tinha no PC (e nunca tive concentração o suficiente para ler) para quem sabe um dia ler. Acabei amando a experiência e tendo a oportunidade de conhecer livros lindos que há anos queria ler e não tinha “oportunidade”. Ainda assim não consigo colocar no mesmo nível essas duas paixões: os livros físicos serão sempre os meus queridinhos para amar, abraçar, emprestar e receber emprestado. Na última semana, por exemplo, fiquei tão entretida com o primeiro volume de Musashi que nem toquei no kindle. Vejo o kindle como meu fiel escudeiro, um auxiliar maravilhoso que veio para complementar meu universo literário.

  • Leave a Reply