Filmes, Literatura, Livros

[Filmes] Jogos Vorazes – Em Chamas

Eis que, após longos meses de muita ansiedade e espera, finalmente pudemos assistir ao segundo filme da trilogia Jogos Vorazes: Em Chamas. E, ainda em êxtase, eu (comentários em azul) e a Sarah Fortes (comentários em rosa) resolvemos fazer uma resenha dupla do longa.

OBS: Esse post poderá conter spoilers sobre o livro. Portanto, se você ainda não o leu, é aconselhável que pare a sua leitura aqui.

Comecemos com uma pequena sinopse para situar o pessoal: Katniss Everdeen, aka garota em chamas, estava tentando sem sucesso esquecer os eventos que ocorreram nos Jogos Vorazes quando o presidente Snow lhe faz uma visita que abrirá os seus olhos para o que estava acontecendo no resto do país: rebeliões! E tudo por causa das suas ações nos jogos que, no final, eram apenas por sobrevivência. Em troca de proteção para seus amados, Katniss concorda em continuar a farsa dos amantes desafortunados com Peeta. As revoltas, porém prosseguem, o que faz o presidente tramar uma vingança que levará todos os vitoriosos dos distritos lutarem por suas vidas no Massacre Quartenário.

Se eu posso falar algo sobre esse filme que foi extremamente positivo é: fidelidade. Em Chamas conseguiu ser bem fiel à obra que o inspirou. Poucas foram as adaptações feitas para que pudessem transformar o livro em um longa e muitas falas de personagens foram preservadas em sua integridade. Ponto para o roteirista!
Algumas coisas foram acrescentadas para dar mais ênfase a alguns personagens. As cenas em que Effie aparece foram de doer o coração. Vemos, pela primeira vez, nossa querida acompanhante deixar de lado sua extrema preocupação com a fama dos seus tributos e mostrar um lado mais sentimental. Effie demonstra o quão importante Peeta, Katniss e até mesmo Haymitch são para ela, roubando a cena com suas falas adicionais.
Gale também ganha um pouco mais de destaque nesse longa, ainda que não seja tanto. Suas aparições, porém, servem mais para demonstrar como são confusos os sentimentos de Katniss. Beijos que não estão no livro surgem na tela, o que possivelmente irá revoltar muitos fãs do Team Peeta (né, Sarah?).
Agora algo que nos desagradou foi Snow. No longa, nenhuma decisão parece partir direto do presidente de Panem, mas sim do novo idealizador dos jogos, Plutarch. A genialidade maldosa de Snow praticamente não existe, o que tira um pouco da força do personagem. 

Deixando a parte fangirl para o final do post (wait for it!), agora quero falar sobre a diferença a mudança dos diretores e o que resultou na transição dos filmes. No primeiro filme, tivemos Gary Ross, que teve uma visão mais intimista e detalhista das cenas, mostrando a visão do mundo de Katniss pela própria personagem. O novo diretor, Francis Lawrence (nada relativo à Jennifer, apenas o sobrenome), já buscou foco em outros personagens nessa sequência. Foi uma mudança um pouco difícil de acostumar em minha opinião, mas acredito que, como a história se torna maior e elaborada, ficaria complicado se manter apenas a visão da protagonista.

E começando a nossa parte favorita: surtos de fangirl!  Nesse filme, vários outros personagens foram apresentados, mas roubaram a cena Finnick Odair e Johanna Manson. Por mais que Mags (;<) tenha me conquistado, foram esses dois que me fizeram perder a cabeça. Jenna Malone arrasou em seu papel e, além de ter arrancado muitos risos (ouso até dizer que Johanna serviu como um alívio cômico), cativou a todos. Sam Claflin foi outro que se destacou (e não falo isso só por causa do torrão de açúcar ~~entendedores entenderão!~~). Não sei nem falar qual foi a minha cena favorita de seu personagem ♥

Jennifer e Josh voltaram com tudo nos seus papéis de protagonistas também. Podemos ver finalmente Katniss e Peeta ter um relacionamento longe da farsa para as câmeras (yay!). Além da esperada cena do beijo na praia (insiram suspiros aqui), adorei ver a que acredito ser uma das minhas favoritas desse par, a conversa no trem onde eles decidem serem amigos. Nela podemos ver entre os risos e conversa leve um pouquinho da enorme química entre os atores que é simplesmente uma fofura de se assistir! Agora é segurar o coração porque o que vem em A Esperança para esses dois vai ser muita dor… (#spoiler: preparem os lencinhos de papel)

Por fim, o que resta a nós, meros fãs, é esperar mais um longo ano até A Esperança sair. Em Chamas foi muito satisfatório, exceto no ponto de nos deixar extremamente ansiosos para o próximo filme (porque, Jesus, que final foi aquele?).

E aí, gente? Como foi a experiência de vocês com o longa? Conta pra gente :))

Até a próxima!

 

 

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply